terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE ENSINO RELIGIOSO - MARIA JOSÉ TORRES HOLMES



         A Formação Continuada é um recurso inacabado, processual e muito importante no fazer pedagógico e consequentemente no processo de ensino e aprendizagem, pois tem a intenção de qualificar o profissional em Educação dentro de sua especialidade nas áreas de conhecimento, onde atuará com maiores esclarecimentos e conhecimento daquilo que vai ensinar para os educandos.
       No caso do Ensino Religioso, também não é diferente! Este profissional mais do que nunca precisa ter este compromisso e responsabilidade de saber o que vai ensinar aos estudantes e como ensinar, pois é importante ter em mente que não é qualquer assunto e nem tão pouco ensinar religião, e ou doutrinar, mas rever seus conceitos e respeitar o espaço escolar por ser este plural onde a diversidade existente é grande, por isso deve ser considerada e respeitada.

Objetivos da formação continuada:
  • Promover a interação entre o conhecimento teórico e prático, numa perspectiva de desenvolver habilidades de conhecimentos relacionados à área das Ciências das Religiões para lidar com as diversidade religiosa existente no contexto escolar;
  • Saber lidar com as diferenças dentro do espaço da sala de aula;
  • Apresentar uma prática pedagógica, dialógica respeitando a diversidade cultural religiosa dentro e fora do contexto escolar. 

    É importante destacar também para este profissional que esta formação continuada, além dos conhecimentos específicos, engloba também as questões metodológicas e avaliativas, para que possa ter sucesso em suas aulas e logicamente atingir objetivos e metas.


Auditório das Paulinas João Pessoa PB -2007
Professor Vanderlan Pereira

Curso de Extensão 2013
Parcerias: SEDEC -  Paulinas - UFPB

Referências 
  • Meus arquivos de fotos da Formação
  • YOUTUBE   https://www.youtube.com/watch?v=Cn4wcp_tzeI&sns=em

      

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Marchinhas de Carnaval Infantil


Um resgate das antigas marchinhas de carnaval...
Um resgate da nossa cultura carnavalesca...
A criançada vai adorar!!!
Brincar, se animar faz parte da vida...
Isso com respeito e com responsabilidade!
Sem ultrapassar os limites de cada ser humano...
Pois a minha liberdade termina quando inicia a do outro.
E viva o Carnaval sem violência!!!

Desenvolvimento das atividades Educação Infantil e Fundamental I

1-Além de cantar e dançar;
2- Desenvolver habilidades de desenho e pintura;
3- Construir frases sobre o carnaval;
4- Elaboração de cartazes;
5- Pesquisar outras músicas e sobre o carnaval;
6- Montar um mural com tudo que as turmas elaboraram, inclusive com fotos.
E bom trabalho

Referências

https://www.youtube.com/watch?v=PTTzBxNAvdk#Email=mjtholmes%40gmail.com

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

AS CONSEQUÊNCIAS DO CARNAVAL


Uma diversão sem limites




O carnaval, por ser uma festa profana faz parte da cultura dos povos de qualquer parte do mundo. Entretanto, nem todos cultuam essa festa do mesmo modo... Isso depende muito de cada País.
À luz desses fatos colocamos neste texto alguns abusos existentes, praticados por foliões brasileiros que extrapolam numa diversão sem sentido, os quais trazem graves conseqüências, não somente para si, mas para a família e para a sociedade, tais como:

Ø Mortes nas estradas.
Ø Incentivo à imoralidade.
Ø Incentivo ao turismo sexual.
Ø Atentado violento ao pudor.
Ø Desrespeito a figura da mulher.
Ø Adultério e separação.
Ø Corrupção da ética.
Ø Diversas modalidades de violência.
Ø Proliferação das doenças venéreas e outras como:
Ø Doenças sexualmente transmissíveis são espalhadas para população devido à permissividade sexual impregnada no Carnaval.
Ø Injustiças com a população pobre principalmente... Muitas pessoas inocentes contraem doenças venéreas que seus parceiros adquiriram no Carnaval.
Ø Gravidez indesejada. Aborto... Estupro.
Ø Depredação das ruas com desrespeito ao meio ambiente
Ø Consumo de diversos tipos de drogas. O Carnaval serve para que a população se embriague e desvie o olhar para a realidade a sua volta. Enquanto milhões de brasileiros passam fome e outros sofrem com nossas leis desumanas, a população resolve usar o Carnaval como válvula de escape.
Ø Desigualdade social... Enquanto ricos vão a badalados camarotes, muitos pobres compram caras fantasias para ficar pulando na avenida. Todavia o povo trabalha para organizar a festa, quem lucra são os poderosos e quase sempre mafiosos organizadores do Carnaval.
Ø Difamação do Brasil internacionalmente;
Ø Aumento da Corrupção. Muitas secretarias de cultura distribuem verba pública para as escolas de samba. Dinheiro que falta a nossa Educação, à Saúde e a Segurança é dado para uma festa que só serve para causar prejuízo à nação. Além de que, muitas escolas de samba servem de degrau para a lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e do jogo do bicho.



E por aí vai... Esses excessos, em nome da alegria praticados em por um prazer sem limites no tempo de folia, provoca também todo tipo de danos ao meio ambiente, haja vista as nossas lindas praias poluídas pelo lixo, mostrando um aspecto  de sujeira externa e interna quando observamos as fotos tiradas do fundo do mar.



http://extra.globo.com/noticias/religiao-e-fe/gerson-monteiro/as-consequencias-dos-excessos-no-carnaval-11735653.html


sábado, 18 de fevereiro de 2017

Normal É Ser Diferente - Grandes Pequeninos

CANÇÕES INFANTIS 2014



Música para quê? 

1-Realizar esse tipo de trabalho ajuda a melhorar a sensibilidade das crianças, a capacidade de concentração e a memória, trazendo benefícios ao processo de alfabetização e ao raciocínio matemático. "A música estimula áreas do cérebro não desenvolvidas por outras linguagens, como a escrita e a oral. É como se tornássemos o nosso 'hardware' mais poderoso", explica a pedagoga Maria Lúcia Cruz Suzigan, especialista no ensino de música para crianças. Essas áreas se interligam e se influenciam. Sem música, a chance é desperdiçada. Segundo Maria Lúcia, quanto mais cedo a escola começar o trabalho, melhor. "Essa linguagem, embora antes fosse mais comum, faz parte de cultura das crianças por causa das canções de ninar e das brincadeiras. O pouco que ainda resta abre um oportuno espaço para o trabalho na escola." 
Se você já sabe que a linguagem musical é importante para as crianças, mas tem medo, se acha desafinado, não toca um instrumento e não sabe por onde começar, os pesquisadores da área procuram desfazer o mito de que é difícil ensinar música para crianças sem ser músico. "Não é complicado, só trabalhoso. Não se espera que o professor de música seja um músico, assim como não se imagina que o alfabetizador é um grande escritor", enfatiza Maria Lúcia. Ela criou nas prefeituras de Diadema e Itu, em São Paulo, um programa de capacitação dos professores da rede que inclui formação e planejamento de atividades. 


2-Para aprender coisas novas é necessário enfrentar a barreira do medo e quebrar o paradigma do dom. "Se você não é muito afinado, não faz mal, pode usar uma gravação e cantar com a criançada. Quando na escola há alguém que toca violão, essa pessoa pode fazer um acompanhamento", afirma Rozelis Aronchi Cruz, que coordena o projeto em Diadema. 



3-Se não há o amparo da rede de ensino, não desanime. "Aventure-se um pouco", defende José Henrique Nogueira, que há 18 anos dá atividades de música na Educação Infantil e recentemente começou ensinar como se faz isso no curso de pedagogia da Universidade Católica de Petrópolis, no Rio de Janeiro. De início ele sugere a leitura do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. O volume 3 traz orientações para crianças de 0 a 6 anos e uma discografia. 



3-"Ajuda muito um planejamento das atividades que inclua a preocupação constante com a linguagem musical. A música não pode ficar restrita a eventos como festas e datas marcantes, mas deve ser uma prática diária", completa Elvira de Souza Lima, pesquisadora em desenvolvimento humano e orientadora dos programas de ensino musical das prefeituras de Blumenau (SC), Coronel Fabriciano (MG) e Guarulhos (SP).

Referências
Ver no site da Nova Escola

vídeo youtube  (https://www.youtube.com/watch?v=F2qftBT2924)

Curiosidades sobre o Carnaval


palavra carnaval é originária do latim, carnis levale, cujo significado é retirar a carne. O significado está relacionado com o jejum que deveria ser realizado durante a quaresma e também com o controle dos prazeres mundanos. Isso demonstra uma tentativa da Igreja Católica de enquadrar uma festa pagã.
Na antiga Babilônia, duas festas possivelmente originaram o que conhecemos como carnaval. As Saceias eram uma festa em que um prisioneiro assumia durante alguns dias a figura do rei, vestindo-se como ele, alimentando-se da mesma forma e dormindo com suas esposas. Ao final, o prisioneiro era chicoteado e depois enforcado ou empalado.
O outro rito era realizado pelo rei nos dias que antecediam o equinócio da primavera, período de comemoração do ano novo na região. O ritual ocorria no templo de Marduk, um dos primeiros deuses mesopotâmicos, onde o rei perdia seus emblemas de poder e era surrado na frente da estátua de Marduk. Essa humilhação servia para demonstrar a submissão do rei à divindade. Em seguida, ele novamente assumia o trono.
O que havia de comum nas duas festas e que está ligado ao carnaval era o caráter de subversão de papéis sociais: a transformação temporária do prisioneiro em rei e a humilhação do rei frente ao deus. Possivelmente a subversão de papeis sociais no carnaval, como os homens vestirem-se de mulheres e vice-versa, pode encontrar suas origens nessa tradição mesopotâmica.
As associações entre o carnaval e as orgias podem ainda se relacionar às festas de origem greco-romana, como os bacanais (festas dionisíacas, para os gregos). Seriam festas dedicadas ao deus do vinho, Baco (ou Dionísio, para os gregos), marcadas pela embriaguez e pela entrega aos prazeres da carne.

Como trabalhar em sala de aula com o texto  6º ao 9º Ano:

  • Ler o texto com a turma para sensibilizar;
  • Repetir essa leitura fazendo comentários;
  • Ouvir os estudantes o que acham do Carnaval;
  • Produzir textos ou cartazes;
  • produzir máscaras;
  • Ouvir as músicas de carnavais passados;
  • Pesquisar sobre o carnaval...
Do 1º ao 5º
  • levar para a classe um texto mais fácil de entendimento
  • Desenvolver os mesmos procedimentos, questionando;
  • Ouvir as músicas;
  • Rabiscos de desenhos e máscaras.
  • E outros...

http://brasilescola.uol.com.br/carnaval/historia-do-carnaval.htm


CARNAVAL PELO MUNDO

        O carnaval é uma festa popular que surgiu ainda na Antiguidade com intuito de celebrar os deuses pagãos e a natureza. Foi reconhecida pela igreja e incluída no calendário cristão depois de muitos séculos, ainda hoje é comemorada no mundo inteiro. Possui características diferentes em cada país que o festeja.
          A origem do carnaval é incerta, mas acredita-se que tenha surgido na Grécia por volta do ano 520 a.C. Era uma festa em que o vinho era fundamental e as pessoas se reuniam em nome do deus Dionísio com a única intenção de se divertirem, celebrar a chegada da primavera e a fertilidade. Esse tipo de comemoração se tornou popular em Roma durante os primeiros séculos da era cristã.
         O nome Carnaval vem de “Carne Vale”, seu significado está ligado ao fato dessa festa pagã acontecer durante os três dias que antecedem a quaresma, um longo período de privação, portanto era como uma despedida dos pecados da carne. Esse nome surgiu depois que a celebração foi legalizada pela Igreja Católica para coibir o que a instituição classificava como celebração pecaminosa. Ou seja, a celebração tinha como objetivo principal extravasar e fazer tudo que durante a quaresma era proibido.
       Em 1545, depois do concílio de Trento, mudou-se o calendário de Juliano para Gregoriano e o Carnaval passou a ser uma data oficial para os cristãos. Dessa forma, é reconhecida como festa popular de rua que sofreu uma série de modificações culturais até chegar aos dias de hoje.
        Esse cálculo foi estipulado para que não houvesse coincidência com o dia da Páscoa Católica e para que essa festa não ocorresse no mesmo dia da Páscoa Judaica. Assim, ela começa com o equinócio de primavera, no hemisfério norte, a partir dele é preciso saber em qual dia será a primeira lua cheia, pois a páscoa é comemorada exatamente no domingo depois dessa lua. Ou seja, sabe-se que a terça-feira de carnaval é aquela que antecede a Páscoa em 47 dias. No Brasil, a data é comemorada no outono, então começa a contar a partir do dia 21 de março, dia do equinócio no hemisfério sul.