terça-feira, 28 de novembro de 2017

TRABALHANDO COM DINÂMICA: Você me completa:


1-Sou um jardim sem flor
1-Eu sou a flor do seu jardim
2-Sou um céu sem estrela
2-Eu sou a estrela do seu céu
3-Sou um mar sem onda
3-Eu sou a onda do seu mar
4-Sou um coração sem amor
4-Eu sou o amor do seu coração
5-Sou uma árvore sem fruto
5-Eu sou o fruto da sua árvore
6-Sou um livro sem leitor
6-Eu sou o leitor do seu livro
7-Sou um ninho sem pássaro
7-Eu sou o pássaro do seu ninho
8-Sou um teatro sem fantoche
8-Eu sou o fantoche do seu teatro
9-Sou um ser sem amigo
9-Eu sou o amigo do seu ser
10-Sou um planeta sem vida
10-Eu sou a vida do seu planeta
11-Sou uma fonte sem a água
11-Eu sou a água da sua fonte
12-Sou um fruto sem a semente
12-Eu sou a semente do seu fruto
13-Sou uma música sem o som
13-Eu sou o som da sua música
14-Sou um rio sem peixe
14-Eu sou o peixe do seu rio
15-Sou uma flor sem perfume
15-Eu sou o perfume de sua flor
16-Sou uma escola sem professor
16-Eu sou o professor da sua escola
17-Sou uma sala de aula sem alunos
17-Eu sou o aluno da sua sala de aula
18-Sou um uma panela sem tampa
18-Eu sou a tampa da sua panela
19-Sou um lápis sem ponta
19-Eu sou a ponta do seu lápis
20-Sou uma caneta sem tinta
20-Eu sou a tinta da sua caneta

Essa dinâmica pode ser trabalhada em apresentações; em confraternizações com amigo secreto...muito boa, alegre e muito divertida.
De acordo com numeração pode ser trabalhada com 40 pessoas.

TRABALHANDO COM DINÂMICAS






AUTO-AVALIAÇÃO GRUPAL

A. Objetivo
Oportunizar reflexão sobre dificuldades e contribuições de cada integrante no grupo.

B. Recursos necessários
Lápis;
Papel ofício.

C. Procedimentos
1. Grupo em círculo, sentado;
2. Distribuir papel e lápis para os membros do grupo;
3. Pedir que respondam por escrito: "Qual a minha maior dificuldade neste grupo?"
4. Recolher todos os escritos, misturá-los e distribuí-los;
5. Cada participante lê alto as dificuldades do outro como se fossem suas e dá sugestões para resolvê-las;

6. Em plenário, o mediador analisar as sugestões surgidas:


* Quais são as maiores dificuldades do grupo?
* Que sugestões chamaram a sua atenção?

* De tudo o que ouviu o que surpreendeu você? 

OBS: Não lembro o site pesquisado.

Essa dinâmica poderá ser aplicada com grupos de docentes e discentes, religiosos e não religiosos entre outros, refletindo sobre uma etapa aplicada em grupo, bem como as dificuldades de trabalhar em grupo e até mesmo de se entrosar com o grande grupo.

sábado, 11 de novembro de 2017

MÃE NATUREZA



Vídeo extraído do Youtube
                       
                                                            (Banda Macucos)


Mãe! És ó mãe natureza
Não deixe o homem te destruir!
Dona da força e da vida,
teu oxigênio mora em mim!

Verde, que te quero verde, e o azul?
Somente o das ondas do meu mar!
Verde, que te quero verde
O prata das águas da chuva!
Verde, que te quero verde, e o amarelo?
O ouro amarelo do rei Sol!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor,
Não se vê o vôo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor
Não se vê o vôo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Imatura mãe, não morre assim!
Natureza mãe, vem nos salvar!
Imatura mãe, não morre assim, não!
Natureza mãe, vem nos salvar!

Mãe! És ó mãe natureza
Não deixe o homem te destruir!
Dona da força e da vida,
teu oxigênio mora em mim!

Verde, que te quero verde, e o azul?
Somente o das ondas do meu mar!
Verde, que te quero verde.
O prata das águas da chuva!
Verde, que te quero verde, e o amarelo?
O ouro amarelo do rei Sol!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor
Não se vê o vôo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor
Não se vê o voo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Imatura mãe, não morre assim!
Natureza mãe, vem nos salvar!
Imatura mãe, não morre assim, não!
Natureza mãe, vem nos salvar!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor
Não se vê o vôo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Não se ouve mais o canto de um sabiá
Não se sente o perfume da mais linda flor
Não se vê o vôo livre, leve, solto,
parado em pleno ar, de um beija-flor!

Imatura mãe, não morre assim!
Natureza mãe, vem nos salvar!
Imatura mãe, não morre assim, não!
Natureza mãe, vem nos salvar!



Vídeo muito bom para reflexão:

1- Trabalhar em sala de aula essa música;
2- Trazer para sala outras músicas que abordem sobre a natureza;
3- Pesquisar nos dicionários as palavras desconhecidas;
4- Reproduzir textos; 
6- Cartazes; 
7-Preparar murais com exposições entre outros.

Referências:
https://www.youtube.com/watch?v=86mS96Tix7w




ASSEMBLÉIA DO POVO DE DEUS

Tela "Operários"de Tarsila do Amaral, retrata
 a mistura de raças que 
compõe a população brasileira.
Cremos no Deus da vida 
e defendemos a vida de nossos povos.
Diante da mundialização do ídolo da morte
que o sistema neoliberal preconiza,
nós proclamamos a mundialização do Deus da vida
e sua presença criadora no universo.

Confessando por mil nomes,
revelando-se a nós, em mil rostos,
através sobretudo da fé cristã, 
das religiões indígenas e
afro-americanas, Ele é sempre maior
que todas as nossas confissões,
mais belo que todas as nossas imagens,
único nos mais diversos encontros.


Como família sua que somos,
nos quer vivos e livres,
plurais e unidos, felizes desde já
nesta casa comum da Terra Pachamama
e sob a carpa luminosa do sol, da lua e das estrelas.
Por Ele e com Ele nos negamos ao fatalismo
de um suposto final da história e rechaçamos
toda exclusão, prepotência, medo e morte.

Em nome do Deus da vida
invocado em todos os nomes prosseguiremos
nossa marcha de peregrinos da Esperança
defendendo a vida, gritando a memória subversiva
e criadora de quantos e quantas nos precederam.


(Trecho da Declaração Final da II Assembléia do Povo de Deus, Colômbia, 14/10/96. )
(Em: Sem Fronteiras, dezembro de 96).
Caderno 2 FONAPER

Excelente texto para ser refletido em sala de aula com os alunos do Fundamental II.

Prezados/as professores usem a criatividade e boa aula!

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

VIDA PÓS-MORTE PARA A DIVERSIDADE RELIGIOSA



A morte trata de uma das certezas da vida terrena! Conhecer o significado da morte é muito importante para os seres humanos. Porém, embora sabendo que esta vida é apenas uma passagem, mesmo assim, deixa-nos temerosos. Existem aqueles que se dizem preparados para quando chegar a sua hora. Outros não gostam nem de ouvir falar neste assunto. O fato é que um dia teremos que partir dessa vida.
A sobrevivência do espírito humano à morte do corpo físico e a crença na vida e no julgamento após a morte já era encontrada na filosofia grega, em especial em Pitágoras, Platão e Plotino.
Na diversidade religiosa o ser humano concebe morte como uma passagem ou viagem de um mundo para outro. Cada crença religiosa interpreta de maneira diferente o falecimento de uma pessoa. Respeitar os rituais é um dever humanitário, que “são ações repetidas de modo regular e previsível, que dão coerência ao processo do tempo [...]”.
Portanto a morte é um rito religioso, com suas diferenças para cada crença religiosa. A isto damos o nome de fenômeno religioso que apresenta diversas maneiras de classificar a vida além-morte de acordo com Luiz Alberto Souza Alves in: Tradições Religiosas e compreensão do mundo e as questões de vida e morte (nimec). Daí é que surgem as perguntas existenciais: De onde vim? Por que vivo? E para onde vou?
Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso apontam o “fenômeno religioso e as respostas para a vida além da morte”, as respostas elaboradas pela humanidade, e que são norteadoras do sentido da vida, as quais são:
·         A Ressurreição: significa que renasce para a vida eterna;
·         A Reencarnação: renasce para outras vidas terrenas;
·         O Ancestral: acredita que os espíritos dos antepassados cuidam da vida de seus descendentes na terra;
·         O Nada: Os que acreditam que não existem outras vidas.

        “As imagens do mundo também incluem relatos sobre o tempo, a natureza humana, o destino e os modos pelos quais os vivos podem continuar a cuidar dos mortos.”

Referências:


Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso: Ensino Religioso, capacitação para o novo milênio (caderno 4, ano 2.000, p.28-33);

Essa temática pode ser estudada pelos alunos/as de 8º e 9º anos, através de:

  • Pesquisas;
  • Produções de textos;
  • Cartazes;
  • vídeos;
  • Murais;
  • Músicas que abordem vida e morte;
  • Palavras cruzadas;
  • Caça palavras entre outras.




terça-feira, 31 de outubro de 2017

A IMPORTÂNCIA DA VIDA


(Graciele Gessner)


Tudo nesta vida tem um lado positivo e precisamos apenas aproveitar com sabedoria, antes que seja tarde demais.
A grande sabedoria da vida está na maneira que conduzimos a nossa história. Muitos por medo de tentar, de arriscar viram prisioneiros. Muitas vezes aprisionados por uma situação que aos poucos consome a essência de viver. 
Quantos por causa dos pré-julgamentos da sociedade já não deixaram de ser felizes?
Quantos já não desejaram uma vida diferente?
Quantos por medo da solidão desistiram de jogar tudo pro alto?
Quantos tiveram a vontade de virar o jogo e na hora o sentimento de pena/inferioridade se manifestou?
Quantos vivem relacionamentos só de aparências?
Quantos nesta vida são infelizes porque não tentaram ou não se arriscaram? 
Quantas circunstâncias que poderiam ser evitadas, mas ao contrário, vamos empurrando o caos da vida. Situações que nos amortecem em dose de elefante. 
Deixamos de viver por causa dos outros; deixamos de ser felizes pelo que vão pensar ou falar. Deixamos de viver emoções para morrer trancafiado no que a sociedade edita como correto. 
Acho que todos nós esquecemos do essencial, Deus nos deu a vida para que possamos viver com liberdade, jamais prisioneiros. Deus nos desejou, nos desenhou e nos criou. Por este motivo devemos valorizar e agradecer a importância da vida. Devemos viver com veemência!
A importância de ter uma vida harmoniosa está nas escolhas que fazemos. Tudo isso é tão simples, como a arte de nos amar, ter o amor-próprio. Deseja ser amado, ame-se! Deseja sucesso, conquiste com determinação os seus ideais. Deseja uma vida diferente, faça a diferença, quebre os paradigmas e viva a vida plenamente. 
Então, lembre-se, você possui a vida que cultiva. Se não deseja o que possui, jogue tudo pro alto e recomece. Recomeçar é sempre o melhor! Recomece quantas vezes for necessário.
Recomeçar é mostrar que estamos vivos.
Dê valor à vida, ela é única e sem volta.

Texto para reflexão